Faça o download do App |
Diretrizes Curriculares Nacionais de Administração

No início de dezembro, o Adm. Antônio Carbonari Netto, fundador da Anhanguera Educacional S.A e membro do Conselho Nacional de Educação - CNE, esteve na sede do CRA-SP, na função de relator das Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Administração, para receber, em mãos, a proposta do Conselho para a base curricular dos cursos de Administração, prevista para entrar em vigor a partir do segundo semestre de 2020.

Elaborada por uma comissão formada por Amyris Fernandez (professora da FGV), Carlos Antonio Monteiro (professor e consultor na área da Educação), Idalberto Chiavenato (conselheiro do CRA-SP e autor de diversos livros sobre Administração), Mario Cesar Barreto Moraes (presidente da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior – CONAES) e Gustavo Galindo (assessor da presidência do CRA-SP), a proposta do Conselho visa a contribuir para que os cursos de Administração desenvolvam as competências necessárias para a atuação do Administrador no futuro. “Estamos pensando no aprimoramento estratégico da nossa profissão. Vivemos no mundo das organizações e todas elas precisam ser administradas por profissionais capazes de lidar com o avançado arsenal tecnológico”, explicou Chiavenato.

De acordo com o presidente do CRA-SP, Adm. Roberto Carvalho Cardoso, a proposta do Conselho também será compartilhada com a ANGRAD – Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Administração, bem como com o Conselho Federal de Administração – CFA e os demais Conselhos Regionais para conhecimento, ação parabenizada por Carbonari, que aproveitou para agradecer a colaboração: “O trabalho que o CRA-SP está fazendo, conduzido por administradores e educadores, economiza o nosso tempo de elaboração, além de demonstrar sobremaneira a sua preocupação com a educação nacional. Estamos acostumados com a inovação partindo de fora para dentro, por puro medo ou resistência à mudança. Mas quando estamos dentro e começamos a promover a mudança, avançamos mais rápido.”

Carbonari falou, ainda, sobre a principal preocupação do Conselho Nacional com a modernização das diretrizes curriculares da Administração: “Não queremos fixar currículo e nem tempo mínimo de integralização. A ideia de currículo mínimo morreu e agora vamos trabalhar com tempo referencial. Outro ponto diz respeito à questão da EaD. Não vamos fixar percentual, mas agir ‘nos moldes da legislação’, que permite chegar a 40%. As diretrizes não estão aí para colocar freios, mas para determinar controles e indicar um bom caminho para progredir.”

A previsão é de que a versão semifinal das Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Administração seja aprovada pela Comissão do CNE em meados de março e disponibilizada para ajustes das instituições envolvidas. A Comissão do CNE é composta por Carbonari, Sergio Bruni, vice-reitor da PUC-Rio e pelo professor da PUC-SP e ex-desembargador do TJ-SP, Marco Antonio Marques da Silva.




Assuntos relacionados com Educação


O conteúdo foi útil para você?    
Faça login para deixar sua opinão
Revista Administrador Profissional - ADMPRO
Publicação bimestral do Conselho Regional de Administração de São Paulo
Todos os direitos reservados.